O que você precisa saber sobre exames radiológicos em animais de pequeno porte

  • outubro/2016
  • 1080 visualizações
  • Nenhum comentário

As últimas décadas trouxeram inúmeros avanços para a medicina veterinária, como exames que possibilitam diagnósticos seguros e, com isso, tratamentos melhor aplicados. A evolução dos exames radiológicos em animais também permitiu que profissionais pudessem avaliar com maior exatidão as condições dos pacientes. Informações mais específicas possibilitam a definição dos próximos passos a serem abordados, seja com tratamento clínico, cirúrgico ou nos controles terapêuticos.

É imprescindível para o profissional veterinário conhecer os princípios de interpretação e principais aspectos radiográficos das doenças para o melhor manejo dos pacientes. De acordo com a fundadora do GEDIV – Grupo de Estudos em Diagnóstico por Imagem Veterinário, Tilde Froes, a principal novidade se dá, principalmente, pela digitalização do processo.

— A introdução da radiologia computadorizada e/ou radiologia digital direta trouxe uma incrível melhora na resolução da imagem, melhorando a acurácia diagnóstica da técnica. E também reduzindo os custos do processo e tempo de aquisição da imagem — enfatiza.

Leia também:
Você já ouviu falar em educação profissional continuada? Saiba o que é
3 coisas que todo veterinário precisa saber
Medicina veterinária: qual a importância de se manter atualizado?

A força do mercado pet no Brasil potencializou o desenvolvimento de tecnologias como o aparelho de raio-X e ultrassonografia portáteis e a diminuição dos custos de outros equipamentos. No entanto, muitos profissionais de clínica veterinária não estão atualizados com as mudanças que acompanham estas novidades. Abaixo, a especialista lista alguns pontos importantes:

  1. Os cuidados de posicionamento, técnica, eventuais artefatos e semiologia radiográfica devem ser bem conhecidos por clínicos, radiologistas e ortopedistas veterinários.
  1. A interpretação deve seguir uma sequência de passos para que todas as lesões sejam identificadas e corretamente interpretadas.
  1. associação da história clínica dos pacientes com os achados radiográficos auxiliam na definição do diagnóstico.
  1. Conhecimento das principais enfermidades ósseas, como o entendimento das fraturas, processo de cicatrização das fraturas, possíveis complicações e o entendimento radiográfico dos achados detectados nas neoplasias ósseas são de grande importância não só para os jovens radiologistas e ortopedistas.

Redação Secad
Matéria por

Redação Secad

O melhor conteúdo sobre a sua especialidade.

Tele-Vendas

(51) 3025.2597

Tele-Vendas Liga

Para você

Informações

(51) 3025.2550